“A universidade colabora com o racismo e a desigualdade”

Chico Alves

Na terceira parte da entrevista do professor Jayro Pereira de Jesus ao canal de vídeos OUTRO MUNDO, ele critica duramente o papel da universidade, que privilegia os pressupostos ocidentais e não trata seriamente a visão de mundo africana, a não ser por algumas pequenas concessões que confirmam a regra geral. Ele lamenta que mesmo professores bem intencionados ou os negros que fazem mestrado e doutorado repitam essa prática. Mesmo a Lei 10.639, que torna obrigatório o ensino da tradição e cultura africanas nas escolas, é algo frágil, que usa um conteúdo “desertificado”, como ele define.

Jayro é professor da Escola de Filosofia e Teologia Afrocentrada (ESTAF), do Rio Grande do Sul. Foi o organizador do projeto Tradição dos Orixás, no fim da década de 80 e início de 90, que mobilizou terreiros do Rio de Janeiro, especialmente da Baixada, para disseminar estratégias de luta contra o racismo, a agressão religiosa e para valorizar os conceitos da visão de mundo africana. O movimento teve adesão de vários terreiros de todo o Brasil e seus reflexos são sentidos até hoje.

 

* O canal OUTRO MUNDO tem o objetivo de divulgar ideias acadêmicas ou não que apontem para um caminho diferente, para um pensamento diverso do que normalmente se vê na grande mídia.

 

O link para a primeira parte da entrevista está aqui.

O link para a segunda parte da entrevista está aqui

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *